Registro das atividades

Documentação

  • Notícia

    Durante o último Portas Abertas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), dia 20 de maio, o Centro de Tecnologia Acadêmica (CTA) realizou a II Hackatona, um 'mutirão de desenvolvimento colaborativo' onde pessoas com diferentes saberes se reúnem para encontrar uma solução em comum. A proposta dessa edição da Hackatona foi a criação de uma incubadora de sementes, que serve como instrumento para estudar e controlar a germinação de plantas a partir do controle de dados como temperatura, luminosidade e umidade.

    O trabalho com a incubadora configura um subprojeto dentro do * Jardins da Babilônia, composto pela criação de sistemas de monitoramento e controle de jardins e hortas com o fim de permitir maior autonomia na produção de alimentos. As vantagens dessa incubadora se destacam pelo alinhamento com os princípios de ciência cidadã, abertura e liberdade de conhecimento. Dessa forma, o objetivo é fazer uma incubadora de baixo custo de fabricação, que seja disponível para a comunidade produzir, disseminar e modificar de acordo com as suas necessidades específicas; isso permite uma emancipação visando principalmente as(os) pequenas(os) produtoras(es), pois elas(es) normalmente ficam reféns dos laboratórios do Estado e estes não suprem essa demanda.

    A metodologia executada foi a de divisão dos sujeitos em grupos, cada um com um foco, para que se encontrassem soluções para problemas específicos; por exemplo, resolver quantos sensores utilizar na captura da luz, desafio destinado a quem se propusesse a trabalhar com a luminosidade. O que permeou as escolhas dos GTs (grupos de trabalho) foram os interesses e habilidades individuais, visto que a ideia do CTA é englobar uma pluralidade de conhecimentos. Assim, foram formadas esquipes para pensar temas como estrutura mecânica, aquecimento, aquisição de dados, documentação e, como já mencionado, iluminação.

    Apesar disso, sabemos da necessidade da cooperação entre grupos para construção do conhecimento. Para a produção da incubadora não foi diferente, havendo áreas convergentes entre os grupos que inclusive motivaram reorganizações e uniões entre, por exemplo, o GT da aquisição de dados e o responsável pelo aquecimento, uma vez que é necessária a aquisição dos dados para o controle da temperatura.

    A metodologia de trabalho foi

a partir de uma dinâmica desenvolvida por grupos responsáveis por cada parte do projeto final, que se comunicam e trabalham para um fim em comum.

Intro
Jardins - Incubadora - Pricípios - Motivação - Vantagens
Metodologia Grupos (enumeração)
Especificidades cada grupo
Cooperações - áreas convergentes -> Pluralidade pessoas
Projeto -> Até onde fomos
-> Perspectivas