Perguntas Frequentes

O que é o CTA?

O Centro de Tecnologia Acadêmica (CTA) é um espaço para o desenvolvimento de uma cultura de ampla colaboração e de continuidade do conhecimento. Atinge este objetivo através do estudo, desenvolvimento e uso de tecnologias livres, de software livre, que possam ser utilizadas, estudadas, modificadas e distribuídas.

Os projetos desenvolvidos no CTA buscam atender demandas tecnológicas das atividades de ensino, pesquisa e extensão da UFRGS. As soluções são alcançadas valendo-se a união entre atividades acadêmicas de cursos regulares com as demandas de laboratórios de ensino, de pesquisa e de instituições parceiras da Universidade. Os projetos são licenciados de maneira a garantir as quatro liberdades aqueles que fazem uso dos projetos e seus derivados.

Saiba mais lendo a Ata de Fundação CTA.

Quais os princípios e perspectivas do CTA?

Basicamente, acreditamos que, a fim de suprir as necessidades atuais da humanidade sem prejudicar as gerações futuras, é preciso que se desenvolva uma cultura de ampla colaboração e de continuidade do conhecimento. No artigo Centro de Tecnologia Acadêmica: princípios e perspectivas, escrito colaborativamente pela equipe do CTA, os princípios e perspectivas são trabalhos e aprofundados.

Como participar do CTA?

Para participar ativamente de projetos do CTA é necessário entrar em contato a equipe de desenvolvimento de um projeto. Venha nos visitar na sala L110 do Instituto de Física da UFRGS, no Campus do Vale. Você também pode participar dos projetos pela internet, cadastrando-se no site.

Para participar das nossas conversas por email, cadastre seu endereço em https://grupos.ufrgs.br/mailman/listinfo/fis_cta_adm-l para fazer parte da nossa lista de discussão. O endereço para postar mensagens é fis_cta_adm-l(arroba)grupos.ufrgs.br. Ao se cadastrar sugerimos que envie uma mensagem de apresentação indicando como deseja participar do CTA.

Como cadastrar-se no CTA?

É possível participar do CTA, através do site. Participando dos fóruns de discussão dos projetos e dos encontros periódicos do CTA. Para utilizar as funcionalidades do site preciso cadastrar-se:
Aluno UFRGS
Colaborador Externo

Como participar das listas de e-mails do CTA?

Contamos com o apoio de lista de e-mails para nossa comunicação on-line. Se você está chegando no CTA, provavelmente a lista mais interessante para você seja a lista geral do CTA. O endereço para postagem de mensagens fis_cta_adm-l(arroba)grupos.ufrgs.br (apenas para endereços cadastrados). Ao se cadastrar sugerimos que envie uma mensagem de apresentação indicando seu interesse em participar do CTA.

Relação das listas de e-mail do CTA

Como funciona o site do CTA?

O site do CTA conta com uma instalação padrão do Chiliproject, uma plataforma de gerenciamento de projetos. Toda a interação se dá por projetos que, por sua vez, contam com funcionalidades específicas para facilitar o seu desenvolvimento. Dentre elas, Wiki, Tarefas, Fórum, Notícias (Blog), Arquivos, interface de controle de versão como git e CVS.

Que papéis um usuário pode assumir em um projeto?

Cada usuário pode assumir um ou mais papéis nos projetos, entre Gerente, Desenvolvedor e/ou Editor. Além disso, existem outros dois papéis possíveis não-membros do projeto (usuários cadastrados no site mas que não fazem parte do projeto em questão) e usuários anônimos (que não estão logados no site).

  • Mantenedores do Projeto: Tem acesso a interface administrativa do projeto: pode escolher os módulos disponíveis, o endereço do repositório e adicionar novos membros ao projeto e seus papéis.
  • Membro da comunidade: Podem editar páginas wiki, gerenciar as tarefas (editá-las, usá-las para o desenvolvimento do projeto, atribuir encarregados), gerenciar os arquivos. Enfim, as tarefas necessárias para desenvolver e documentar um projeto.
  • Editores podem incluir notícias e gerenciar o fórum.
  • Não-membros são aqueles que se cadastraram no site do CTA, mas não fazem parte do projeto. Estes podem incluir tarefas (reportar bugs, solicitar funcionalidades), e também postar mensagens no fórum.
  • Anônimos (não logados) tem menos permissões - basicamente podem visualizar os projetos e seus conteúdos públicos.

O CTA possui um canal de vídeos?

Sim! O canal de vídeos do CTA pode ser encontrado aqui.

O que é Hardware Aberto e Livre?

Baseado na Definição de Hardware de Código Aberto , chamamos de Hardware Aberto e Livre (HAL) aquele "[...] hardware cujos projetos são disponibilizados publicamente de modo que qualquer um possa estudar, modificar, distribuir,fabricar e vender o projeto ou o hardware baseado no projeto. A fonte do hardware, o projeto do qual ele é fabricado, é disponibilizado no formato mais adequado para que nele sejam feitas modificações. Idealmente, hardware de código aberto utiliza componentes e materiais facilmente acessíveis, processos padrões, infraestrutura aberta, conteúdo irrestrito, e ferramentas de desenho livres para maximizar a possibilidade dos indivíduos fazerem e utilizarem o hardware. Hardware de código aberto dá às pessoas a liberdade de controlar a sua tecnologia enquanto compartilham conhecimento e encoraja o comércio através do compartilhamento aberto dos projetos".

O que é um hardware?

Hardware, em inglês, representa qualquer instrumento físico, seja uma ferramenta manual, como um martelo, ou uma impressora 3D.
Equipamentos utilizados em laboratórios científicos e educacionais também podem ser chamados de hardware. Mais do que isso, vários instrumentos científicos abertos estão sendo concebidos dentro do conceito de Open Science Hardware (PEARCE, 2012). Assim, utilizamos aqui o uso do termo hardware na representação ampla de instrumentos e ferramentas além dos computadores e dispositivos eletrônicos.

O que é software livre?

O termo software livre refere-se a um programa de computador que respeita as quatro liberdades essenciais definidas pela Free Software Foundation.

  • Liberdade nº 0
    A liberdade para executar o programa, para qualquer propósito.
  • Liberdade nº 1
    A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo às necessidades do usuário, sendo que o acesso ao código-fonte é um pré-requisito fundamental para esta liberdade.
  • Liberdade nº 2
    A liberdade de redistribuir cópias para os outros usuários.
  • Liberdade nº 3
    A liberdade de distribuir cópias de suas versões modificadas a outros. Desta forma, você pode dar a toda comunidade a chance de beneficiar de suas mudanças. Para tanto, acesso ao código-fonte é um pré-requisito.

Quais as vantagens do software livre?

A principal vantagem de tecnologias livres é a possibilidade do usuário poder estudar a tecnologias que está usando. Os software livres são, em geral, mais seguros porque qualquer pessoa pode consultá-lo e até mesmo melhorá-lo. Isso já é feito por milhares de pessoas no mundo todo a exemplo do sistema operacional GNU/Linux.

Qual a diferença de "Free Software" e "Open Source Code"?

A diferença é histórica, mas também ideológica. A diferenciação dos termos é bem descrita no artigo de John Mark Walker, traduzido e publicado na edição 25 LibreOffice Magazine. Além desses termos, existem outros como FOSS, Libre Software, FLOSS e outros. O artigo Free Software, Open Source, FOSS, FLOSS - same same but different, escrito por Björn Schießle, waclarece um pouco mais sobre.

Quais são as ferramentas livres que o CTA usa?

As ferramentas usadas estão descritas em Introdução às Ferramentas do CTA e Tutoriais , além disso usamos o fórum Ferramentas livres para estudar e compartilhar as manhas de cada ferramenta. Conhece alguma? Compartilha conosco!

O que é um Arduino?

Arduino é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre. Projetada com um microcontrolador Atmel AVR de placa única, com suporte de entrada/saída embutido, uma linguagem de programação padrão, na qual tem origem em Wiring, e é essencialmente C/C++. O objetivo do projeto é criar ferramentas que são acessíveis, com baixo custo, flexíveis e fáceis de se usar por artistas e amadores. Principalmente para aqueles que não teriam alcance aos controladores mais sofisticados e de ferramentas mais complicadas. Entretanto, as facilidades de aprendizado e uso desta placa está se mostrando de grande valia para aplicações científicas e educacionais.

Quais as vantagens do uso de um Arduino?

O Arduino é diferente das outras plataforamas no mercado devido à algumas características que o tornam mais vantajoso, como:

  • Ele é um ambiente de multiplataforma; ele roda no windows, Macintosh e linux.
  • Ele é baseado no processamento de programação da IDE, um ambiente de desenvolvimento muito fácil de usar por projetistas;
  • Você pode programar isso via cabo USB. Esta característica é muito útil, pois muitos modems de computadores não possuem porta serial.
  • Este é um "open source Hardware e software " – se você desejar, você pode baixar o diagrama do circuito, comprar todos os componentes e fazer a sua própria placa.
  • O hardware é um chip. A placa USB custa aproximadamente SS$ 35,00 e a troca de um chip queimado custa um pouco mais de SS$ 4,00.
  • Existe uma comunidade ativa para usuários, por isso, existe uma quantidade enorme pessoas que podem te ajudar.
  • O projeto do Arduino foi desenvolvido em uma ambiente educacional portanto é excelente para os iniciantes obterem projetos trabalhando de modo rápido.

O que é "Tecnologia Acadêmica"?

Sendo a Universidade o local de domínio e cultivo do saber humano, a tecnologia acadêmica é aquela na qual seus conhecedores podem exercer domínio. Ao dominar saberes, cada indivíduo pode usufruir das propriedades naturais do conhecimento. Isto significa que seu uso, estudo, modificação e compartilhamento são naturalmente livres. A tecnologia acadêmica garante autonomia no seu aprendizado, no seu desenvolvimento e no seu uso.

O que é Conhecimento Livre?

O conhecimento livre é aquele que desfruta das quatro liberdades de uso, estudo, modificação e distribuição/compartilhamento. Está bem definido na Definição de obras culturais livres.

Quais as vantagens do Conhecimento Livre?

O Conhecimento livre propicia a livre distribuição e comunicação de ideias através do compartilhamento livre, podendo ser usados e aprimorados por todos.

Existe diferença entre "livre", "aberto" e "gratuito"?

Sim, são três conceitos diferentes. A definição para "software livre" se estende a toda forma de conhecimento -- é aquilo que desfruta das quatro liberdades de uso, estudo, modificação e distribuição/compartilhamento. O termo "software de código aberto" muitas vezes é usado como sinônimo de "software livre", mas o conceito de aberto, em geral, é mais abrangente do que o conceito de livre; o conhecimento aberto permite as liberdades de uso e estudo, mas não necessariamente as de modificação e distribuição. Já o termo "gratuito" se refere simplesmente àquilo que é disponibilizado sem custos financeiros ao usuário -- é bom notar que tanto materiais livres quanto o abertos não necessariamente são gratuitos (e, claro, o contrário também é verdade).

Como garantir que meu trabalho seja disponibilizado como Conhecimento Livre?

Para ser considerado livre, o trabalho de estar disponibilizado por licenças que permitam as quatro liberdades. É importante que essas licenças sejam compatíveis com outras licenças permissivas e que sejam válidas para o tipo de material licenciado; geralmente, para o mesmo trabalho, são necessárias licenças diferentes para partes diferentes (e.g., uma para os software, uma para os textos e diagramas, uma para dados obtidos, uma para os hardware).

Exemplos de licenças bastante utilizadas: GNU General Public License (GNU GPL ou GPL) para software. CERN Open Hardware License (OHL ou CERN OHL) para hardware. Licença Creative Commons (CC) para materiais em categoria de copyright -- é bom notar que existem vários tipos de licenças CC e nem todos garantem que o material seja livre.

Além das licenças, para que um trabalho seja de fato livre, é importante que exista uma documentação contendo todo o material utilizado (códigos-fonte, diagramas esquemáticos, etc) e descrições do processo de desenvolvimento do trabalho disponível à comunidade.

Quando disponibilizar meu trabalho como Conhecimento Livre, devo permitir o uso comercial de distribuição deste?

Idealmente, sim. Citando o documento “Folgen, Risiken und Nebenwirkungen der Bedingung Nicht-Kommerziell – NC” (Consequências, riscos e efeitos colaterais do módulo Não-Comercial – NC – de licenças) criado por um grupo alemão de especialistas em copyright em colaboração com a Wikimedia (versão em inglês aqui): "Muitos licenciadores que intuitivamente escolhem uma licença NC o fazem com a intenção compreensível de prevenir que seus trabalhos sejam indesejável e incontrolavelmente explorados por terceiros para negócios. No entanto, muitas outras consequências dessa escolha são geralmente desconhecidas."
Como é explicado no documento (de leitura muito recomendada), o módulo NC traz consequências indesejadas prejudiciais à produção de Conhecimento Livre.

  • Muitas possibilidades de uso, como inclusão em comunidades de conhecimento, arquivos, a Wikipédia, jornais locais, publicações são impossibilitadas.
  • Nem todo uso comercial é negativo. Frequentemente, o sucesso de trabalhos educacionais e culturais depende fortemente de usos comerciais. Muitas vezes, o uso comercial de materiais livres é indispensável para o sucesso de projetos sem fins lucrativos voltados para o bem público.
  • A intenção de proteger um trabalho contra exploração por terceiros pode ser alcançada por outras formas. O módulo Share Alike garante que qualquer derivação do material licenciado seja disponível tão livremente quanto o material original.
  • O uso do módulo NC prejudica fortemente a produção de trabalho colaborativo devido a incompatibilidades de licenças. A maioria das licenças usadas em materiais livres não é compatível com licenças com restrição NC, impossibilitando a junção de trabalhos -- o que, em geral, é feito sem fins lucrativos.
  • Em especial para o CTA, como procuramos dispersar modelos de negócio baseados no Conhecimento Livre, a permissão do uso comercial dos trabalhos desenvolvidos é de extrema importância.

Como devo documentar os projetos?

Não existe um modelo global de documentação de hardware, mas o CTA tenta ajudar criando modelos que devem ser adaptados as necessidades e especificidades de cada projeto.

Além desses modelos, é sugerido que sejam usadas ferramentas livres para documentação.