Etapas Experimentais

Etapa 1: Calibração Força Aplicada x Pressão de Processamento

Uma amostra, que sofre mudanças abruptas da resisitividade elétrica em pressões já conhecidas é colocada na câmara de alta pressão, para ser usada como um calibrante de pressão.
A pressão de óleo é aumentada a uma dada taxa, aumentando a força aplicada sobre a câmara. Essa pressão de óleo (equivalente à força aplicada) é monitorada através de um sensor. A resistência elétrica do calibrante é monitorada simultaneamente, pela medida da queda de tensão sobre o mesmo ao ser alimentado por uma fonte de corrente constante.
A partir dos pontos de variação abrupta da resistência elétrica, são identificados os valores de pressão de óleo (força aplicada) necessários para gerar as correspondentes pressões de processamento nas amostras.

Etapa 2: Calibração Potência de Aquecimento x Temperatura de Processamento

A câmara de alta pressão é carregada com a amsotra a ser processada e, na montagem do experimento, um termopar é inserido, tendo-se o cuidado de deixar a sua junção em contato térmico com a amostra.
Usando a curva de calibração obtida no Bloco 1, a amostra a ser processada é submetida à pressão desejada.
A potência elétrica do sistema de aquecimento resistivo é gradualmente aumentada, sendo monitorada através da leitura dos valores correspondentes de tensão e corrente aplicados.
A tensão gerada pelo termopar é simultaneamente monitorada, permitindo correlacionar a temperatura na amostra com a potência de aquecimento aplicada. Isso permite a obtenção de curvas de calibração para processamento da amostra em diferentes temperaturas sem a necessidade de inserção de um termopar na montagem do experimento.

Etapa 3: Experimento Final (Processamento)

Tendo ambas as curvas de calibração, pode-se então realizar o processamento de materiais em diferentes valores de pressão e temperatura dentro da faixa de calibração avaliada. Pela monitoração da pressão de óleo (força aplicada) e da potência elétrica de aquecimento, pode-se controlar a pressão e a temperatura de processamento da amostra.
Em cada etapa, os dados devem ser armazenados e possuirão suas respectivas informações especí­ficas de experimento. Cada bloco será uma "aba" na interface final. Em todas as etapas será possí­vel observar os dados tanto graficamente quanto numericamente.