III Reunião do GT1 - Física de Altas Energias - 28/08/2018 às 15h30

Added by Camila Kamis da Rocha Cardoso over 3 years ago

Data: Terça-feira, 28 de Agosto de 2018, às 15h30
Local: Centro de Tecnologia Acadêmica - IF/UFRGS - Sala L110
Veja o mapa

Pauta

  • Realização da "Etapa 1 - Partida do Projeto" para determinar um objetivo acordado
  • Esclarecimento de dúvidas sobre o material já estudado

Replies (2)

RE: III Reunião do GT1 - Física de Altas Energias - 28/08/2018 às 15h30 - Added by Renan Ritter Soares over 3 years ago

ATA

  • Tarefas:
    • Pesquisar sobre os SiPM (Sensl)
    • Pesquisar por marcas e fabricantes de cintiladores plásticos
    • Transferir conclusões da Etapa 1 para a wiki
  • Conclusões da Etapa 1

Objetivo do projeto

Desenvolver um detector de raios cósmicos de baixo custo, de tamanho compacto e móvel, utilizando um cintilador de partículas de alta energia, com eletrônica inteligível e com potencial de aplicação para ciência cidadã.

Impacto do projeto

Consolidação de estudos de altas energias e na sua engenharia, viabilizando projetos mais complexos e ambiciosos. Despertar o interesse de mais pessoas pela área a aproximá-las da física de altas energias. Disseminar o conceito de hardware aberto com potencial de multiplicação devido ao baixo custo para divulgação científica.

Metodologia

Definir o cronograma de metas dentro de um planejamento suficientemente detalhado baseado nas necessidades do projeto dentro de um financiamento adequado. Ter conhecimento dos blocos de funcionamento e dos componentes eletrônicos do instrumento. Documentar o projeto de modo a viabilizar que outros possam seguir os passos do nosso aprendizado e dar continuidade ao seu desenvolvimento.

  • Presentes: Renan, Camila, Filipe, Rafael P., Gustavo, Marcelo, Álisson, Cristthian.

RE: III Reunião do GT1 - Física de Altas Energias - 28/08/2018 às 15h30 - Added by Rafael Pezzi over 3 years ago

Pessoal, gostaria de sugerir que a parte do hardware do projeto fosse divido em fases.

A primeira fase com o objetivo de garantir domínio sobre a eletrônica periférica das fotomultiplicadoras. Quem sabe tanto as de tubos como as SiPM. Cada tipo de detector deverá ter eletrônica sensivelmente diferente em função das tensões de operação, das tensões/correntes dos sinais e suas respectivas impedâncias, tempos de resposta, etc.

A segunda fase visa colocar essa eletrônica em funcionamento em um detector, que poderá virar um "produto", a ser reproduzido e difundido, caso ocorra o interesse e seja viável.

Além do aspectos referentes ao equipamento, existe a aplicabilidade do projeto para ciência cidadã contribuir com a observação de raios cósmicos altamente energéticos, que deverá moldar as características do instrumento a ser disseminado. O Prof. Vitor de Souza que faz parte do Observatório Pierre Auger e CTA - virá para Porto Alegre durante a semana acadêmica de Outubro e irá discutir conosco o potencial de aplicação dos sensores.

A segunda fase do desenvolvimento do equipamento será moldada pelas questões de ciência cidadã, ponderando custos, demandas científicas e viabilidade operacional fora da universidade. Tamanho, forma e outras propriedades do material cintilador e do sensor serão definidas pelas demandas científicas.

Nessa sugestão o projeto fica organizado da seguinte forma:
  • Fase I
    • GTs da eletrônica
    • GT Raios cósmicos e Ciência Cidadã experimental
  • Fase II
    • GTs a serem definidos

(1-2/2)